Pesquisar neste blogue

março 20, 2010

Maragogi (*) vegetariano


Burekas de berinjela, perfeito! (Foto: Nide Lins)
Burekas de berinjela, perfeito! (Foto: Nide Lins)
Só de ouvir falar em comida vegetariana, ou seja, alimentação sem carnes vermelha ou branca, muita gente já  faz cara feia.  Mas deixe de lado o preconceito e se permita conhecer novos sabores, temperos, texturas, vegetais, sementes, grãos, brotos (sementes germinadas) e novas técnicas de cozimento em nome de uma dieta saudável.
Aproveite, porque a cozinha da pousada, ou melhor, do espaço Ecohar Yoga Ashram  é aberta para o público apreciar e até mesmo meter a colher nas panelas e entender a alma da cozinha vegetariana.

Chef do Ecohar, Isabel Sehbe (Foto: Nide Lins)
Chef do Ecohar, Isabel Sehbe (Foto: Nide Lins)
Isabel Sehb é especialista em alimentação Ayurvedica (Indiano, significa: ciência da vida) e uma coisa que desperta atenção em sua cozinha são os depósitos de sementes espalhados por todaparte. As de mostarda preta, cominho e coentro são a base do condimento dos alimentos.
Cada semente tem uma função. A de coentro é refrescante, calmante, digestiva e reduz os gases. A de mostarda tem gosto apimentado, é digestiva e excitante e a de cominho tem aroma marcante, é digestiva e equilibra todas as constituições. As três juntas realçam o sabor dos alimentos.
O arroz agulha, o mais comum na culinária brasileira, é presença constante no Ecohar, com o tempero das  sementes. Elas são adicionadas ao azeite quente, mas com atenção para não queimar, depois vem o arroz, açafrão, cenoura e chuchu ralados e, por último, água para cozinhar. O grão fica solto e temperado na medida.
Aliás, na culinária vegetariana Ayurvedica a tradição é servir no prato todos os alimentos de uma vez só, ou seja, não se come primeiro a salada para depois saborear o arroz, é tudo junto. Um dos destaques da co zinha é a paella vegetariana feita com arroz, pimentões verde,  amarelo e vermelho, vagem, tomate, açafrão, azeite de oliva,caldo de legumes caseiros, pimenta-do-reino e sal a gosto.
Quando chega à mesa não sobra um grão para contar a história. Tomate, abobrinha, queijo coalho ou de leite de búfala com folhas de coentro bem picadas são regados com azeite e vão direto ao forno. Quando fica pronto lembra uma receita italiana,tanto no aspecto, quanto no sabor.
Café da manhã, sem ovo e com tapioca
Uma das delícias do Ecohar, suco de maça e couve (Foto: Nide Lins)
Uma das delícias do Ecohar, suco de maça e couve (Foto: Nide Lins)
Logo ao amanhecer o primeiro alimento no Ecohar é água morna com limão para combater a acidez estomacal. Para quebrar o amargo da bebida, frutas secas sem açúcar combinam bem. Depois da meditação é servido um café estilo regional. No cardápio não estão incluídos ovos, que não fazem parte da linha lacto vegetariana. Já leite e derivados são aceitos, como o queijo servido numa tapioca de massa fina e crocante, macaxeira ou inhame, frutas, suco de couve (antioxidante) e maçã (adstringente) na medida. Café e chás à vontade.
A cozinha vegetariana Ayur vedica é  diversificada e saudável, ajuda o organismo a funcionar direitinho e, o melhor, é saborosa, uma grata surpresa. As receitas servidas no Ecohar têm a medida das mãos de Isabel, que não erra no sal nem nos condimentos. Até mesmo o gengibre é colhido em sua pequena horta orgânica e oferece o frescor sem ardência nos molhos e nos temperos das comidas.
Isabel é filha de italiana com árabe e mesmo tendo nascido no Rio Grande do Sul o churrasco há muito  não consta na sua dieta. Na cozinha da mestra, não podem faltar sementes de coentro, cominho, mostarda, cardamomo, feno grego e erva-do-ce,além do açafrão, coentro em pó, pimenta preta, cravo, canela, folha de louro e gengibre fresco. Todos estes temperos ayurve-dicos  despertam o nosso paladar para novas sensações  da boa comida vegetariana no Ecohar.
Rota do Ecohar - Almoço ou jantar por pessoa: R$ 20,00. Para agendar, basta ligar para agendar. A hospedagem no Ecohar é simples, nos quartos tem ventilador, e um pote com água mineral. A diária é R$ 90,00 por pessoa com direito as três alimentações, lanches, água e yoga, caminhadas e meditação.
Isabel Sehbe: (82) 3296.2099
Receitas
Suco de couve e maçã
Um copo de água (tamanho americano)
Uma folha de couve (antioxidante)
Uma  maçã (adstringente).
Bate tudo no liquidificador, açúcar ou adoçante a gosto depois é só coar e tomar. Para quem não gosta nem de açúcar ou adoçante pode ir em frente, pois tem o doce natural da fruta.
Burekas de berinjela
Para a massa: 
250 g de farinha de trigo
1 gema
125 ml de óleo de girassol
meio copo de água morna
2 colheres de sopa de gergelim
sal
Para o recheio:
2 berinjelas
1 dente de alho
500 g de queijo feta
3 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
pimenta vermelha em pó
2 ramos de tomilho
azeite de oliva extra virgem
sal
Dificuldade: média
Tempo de preparo: 50 minutos, mais o tempo de repouso
Tempo de cozimento: cerca de 35 minutos
Ingredientes para 6 pessoas
Para o recheio: descasque a berinjela, lave-a e corte a polpa em cubos, salpique-os com sal e coloque-os num escorredor de massas para deixar sair o líquido amargo.
Esprema-os bem e refogue-os numa frigideira com algumas colheres de sopa de azeite até que estejam macios e dourados. Retire-os com uma escumadeira, escorra-os bem e . ponha-os numa vasilha.
Quando estiverem frios, junte o dente de alho, descascado e amassado com as costas de uma colher, o queijo feta, esfarelado, o parmesão ralado, a pimenta em pó e as folhas de tomilho, lavadas. Misture o recheio e reserve-o.
Para a massa: numa vasilha, misture o óleo de girassol com 125 ml, meio copo de água morna e uma pitada de sal. Adicione a farinha, peneirada, e sove até obter uma massa homogênea.
Cubra a vasilha com filme plástico e deixe repousar por 1 hora em temperatura ambiente.
Divida a massa em 30 bolinhas e abra cada uma delas com um rolo, de maneira a obter discos finos e regulares.
Coloque 1 colherada de recheio no centro de cada disco de massa e feche-os em forma de meia-lua, apertando as bordas com um garfo para selar bem.
Disponha os pasteizinhos numa assadeira forrada com papel-manteiga e pincele a superfície com a gema, levemente batida com 1 colher de sopa de água. Salpique com as sementes de gergelim e asse em forno pre aquecidos a 180°C por 25 minutos. Retire as burekas e sirva-as bem quentes em pratos individuais.
(*) Maragogi é um município brasileiro do estado de Alagoas. Localizado a 125 km de Maceió, o município localiza-se no Leste Alagoano e no Litoral Norte Alagoano.

1 comentário:

Helenice Costa Botogoske disse...

Oi Malu... tudo bem?

Já comi na barraquinha de um hare krishna na feira vegetariana, mto gostoso, super saboroso e de diversos sabores.

Bjos.