março 10, 2010

Diretor de The Cove é impedido de falar na cerimônia do Oscar









Apesar de Ficher Stevens, produtor do vencedor de melhor documentário The Cove, ter mantido seu comentário abaixo do limite recomendado de 45 segundos, a orquestra o cortou assim que se aproximou do microfone.
“Fisher e eu tínhamos marcado o tempo perfeitamente, com precisão militar, os 45 segundos, nem um segundo a mais”, disse Louis Psihoyos. “Na verdade nós até diminuímos para 44.” Rindo, ele adicionou: “Eu tinha passado uma semana preparando e aperfeiçoando isso. Eu teria aproveitado melhor a semana passada se soubesse que não poderia falar.”
Ric O’Barry levanta cartaz com apelo. Foto: Reprodução PopWatch
Psihoyos se pergunta se os produtores do show se assustaram quando o ativista/protagonista de The Cove, Rick O’Barry, ergueu a placa ‘Mande DOLPHIN para 44144’.  A Academy não comentou nada até o momento.
De qualquer jeito, Psihoyos mandou o que gostaria de ter dito. E aqui está, na íntegra, direto de seu e-mail, a versão longa do mais curto discurso de recebimento do Oscar:
Por Louis Psihoyos, diretor de The Cove
“Nós fizemos esse filme para dar uma voz aos oceanos. Nós contamos a história de The Cove porque fomos testemunhas de  um crime. Não um crime apenas contra a natureza, mas um crime contra a humanidade. Nós fizemos esse filme porque, apesar do esgotamento, poluição e acidificação dos combustíveis fósseis, toda a vida oceânica está em perigo, das grandes baleias aos plânctons que, acidentalmente, são responsáveis por metade do oxigênio nesse local. Obrigado Time de Operações Negras por arriscarem suas vidas no Japão, e obrigado à Academia por voltar os refletores ao mundo de The Cove. 
Japão, por favor, assista a esse filme! Domo Aragato!”
Com informações de Pop Watch
via ANDA





The Cove, documentário sobre caça aos golfinhos, vence Oscar de Melhor Documentário

O filme A Enseada (The Cove) ganhou ontem o Oscar de melhor documentário. Produzido por Ric O’Barry, o ex-treinador de golfinhos que agora se dedica a acabar com a captura desses animais, A Enseada é uma denúncia da matança de golfinhos no Japão.

Em uma declaração emitida hoje, Ric disse que essa vitória foi um momento incrível mas que a luta continua. Nas vésperas da exibição do filme no Japão, a campanha enfrenta ameaças de retaliação contra grupos que mostrarem o filme, além de ameaças de sindicatos de pescadores contra os cinemas que mostrarem o filme.

Muitos dos golfinhos capturados pelos “pescadores” são vendidos por uma fortuna para parques aquáticos, onde eles passarão uma vida confinados e forçados a executar acrobacias estúpidas e banais para um público desinformado da realidade por trás dos “shows”.

Clique aqui para assinar a petição pelo fim da venda de carne de golfinho.






O prêmio de Melhor Documentário no Oscar 2010 foi para o filme “The Cove -- A Baía da Vergonha”, de Louie Psihoyos e Fisher Stevens. O prêmio foi entregue por Matt Damon.

Equipe comemora Oscar de Melhor Documentário. (Imagem: Terra)



Os diretores Louie Psihoyos e Fisher Stevens agradeceram o prêmio e mostraram uma placa pedindo para que o público mande uma mensagem de texto com a palavra ‘golfinho’ para um certo número.
O filme denuncia o massacre dos golfinhos em Taiji, uma baía japonesa, e é a história real do defensor de golfinhos Ric O’Barry – conhecido por seu trabalho com os golfinhos da série televisiva Flipper –,  de Louie Psihoyos – fotógrafo da ‘National Geographic’ durante 18 anos – e uma equipe de ativistas na defesa dos golfinhos.
A equipe começa a desvendar uma máquina cruel e insensível que esconde um terrível segredo: implacáveis, pescadores, policiais e autoridades aliam-se na exploração dos golfinhos, sujeitando-os a chacinas sangrentas ocultadas do olhar de todos. Tudo em nome da carne de golfinho e da exportação dos animais para zoológicos e parques marinhos, um negócio de milhões que se faz à custa de cerca de 23 mil golfinhos mortos anualmente.
Com câmeras ocultas e muita perseverança, a equipe do cineasta enfrentou todos os medos e todos os riscos em nome dos animais indefesos, atraídos para aquela pequena enseada para um banho de sangue.
O olhar de Psihoyos, sensível, corajoso e objetivo, já havia conquistado o festival de cinema de Sundance e o “Critics Choice Awards”, nos Estados Unidos. Agora conquistou o Oscar.
Assista ao trailer, com legendas em português.





Indicado ao Oscar, filme sobre matança de golfinhos será visto no Japão

Um documentário indicado ao Oscar sobre a sangrenta caça a golfinhos no Japão será exibido em cinemas do país pela primeira vez este ano, mas com algumas modificações, anunciou a distribuidora


“A Enseada” (“The Cove”), que já foi exibido em 15 países e recebeu vários prêmios, acompanha um grupo de ativistas que lutam com policiais e pescadores japoneses para ter acesso a uma enseada isolada em Taiji, no sul do Japão, onde é promovida uma caça a golfinhos. O filme inclui imagens chocantes da matança dos animais.

O filme é pouco conhecido no Japão, onde o governo diz que a caça a golfinhos e baleias é uma tradição cultural importante. ”O filme fala do Japão, mas até agora este era o único lugar onde não podia ser visto”, disse na quinta-feira Takeshi Kato, da distribuidora Unplugged.
Kato garantiu que “A Enseada” será exibido em cinco cinemas em grandes cidades japonesas em maio ou junho e espera ampliar esse número para cerca de 20. ”Eles não são defensores da proteção aos golfinhos, nem são partidários da caça a eles”, disse ele, falando dos proprietários dos cinemas que optaram por exibir o filme. “Querem exibir o filme sem tomar partido.”
Depois de receber queixas de Taiji, Kato está modificando o filme para o mercado japonês. Ele concordou em ocultar os rostos dos pescadores e acrescentar uma nota sobre diferenças de opinião em relação aos níveis de mercúrio na carne de golfinhos, que é vendida e servida nas merendas de escolas da região.
A associação de pescadores de Taiji se negou a comentar a exibição do filme, e não havia ninguém disponível para dar declarações na prefeitura local, mas o prefeito da cidade já disse anteriormente que o filme não vai afetar a tradição de caça aos golfinhos.
O documentário foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Tóquio no ano passado, mas uma universidade de Tóquio desistiu da sessão prevista do filme este mês depois de objeções por parte da prefeitura de Taiji, anunciou na quarta-feira o jornal Sankei.
Dirigido pelo ex-fotógrafo da revista National Geographic Louie Psihoyos e tendo em seu elenco um antigo treinador de golfinhos do seriado de TV “Flipper”, “A Enseada” pode ganhar exibição mais ampla se receber um Oscar, disse Kato.
O filme foi indicado ao Oscar de melhor documentário. A cerimônia de entrega dos Oscar acontecerá no domingo.

Fonte: O Globo

Sem comentários: