junho 27, 2010

O que faríamos com os bois?

Uma das perguntas mais bobas daqueles que argumentam contra o vegetarianismo é: “Se todos fossem vegetarianos, o que faríamos com os bois?
Em primeiro lugar, é bom se perguntar se todos iriam ser vegetarianos ao mesmo tempo. Se não, a resposta seria simples: baseado nos princípios da oferta e da demanda, à medida em que o consumo caísse, a produção também diminuiria. É bom lembrar que grande parte dos nascimentos de “animais de corte” é provocado ou mesmo forçado, por inseminação(*).


Infelizmente, a nossa sociedade passou a industrializar a vida e submetê-la ao mesmo tratamento dado a uma mercadoria qualquer. Quando vou a um hipermercado e observo de uma forma diferente o quão sinistra é a seção de frios. Pedaços de cadáveres expostos. Restos de animais que não só morreram mas tiveram sua existência forçada para este macabro propósito, e no meio da história, uma sub-vida sujeita, em muitos casos, a maus tratos e uma morte desumana (existem mesmo assassinatos “humanos”?).
Se, por outro lado, a abstenção da carne fosse brusca, o que a causaria? Uma doença pior que as gripes aviária e suína ou a vaca louca? A constatação e divulgação pública e ampla da relação entre o consumo de carne e doenças graves? Uma onda de consciência humanitária? Seja o que for, já seria motivo suficiente para parar o consumo primeiro e perguntar depois o que fazer.
O fato é que a humanidade nem cogita a possibilidade. 
“O direito de matar um veado ou uma vaca é a única coisa sobre a qual a humanidade inteira manifesta acordo unânime, mesmo durante as guerras mais sangrentas” 
- Milan Kundera. 
Mas se um dia isso for mudado, por qualquer motivo que seja, devemos estar cientes de que temos todos, creófilos e vegetarianos (mesmo os assim natos), uma imensa dívida para com todos os animais.
Criar reservas bovinas seria uma possibilidade. Somente em poucas reservas na África e em alguns lugares isolados do planeta existem bovinos vivendo livres na natureza e quase ninguém se incomoda com este fato. E o controle populacional? Gente… Essa é uma conta que temos o dever de pagar.
O engraçado (trágico, na verdade) é ver alguns amig@s que se indignam com a pesca de baleias e golfinhos pelos japoneses que pode ser vista na Discovery enquanto comem seu sanduíche de presunto. Vai entender a humanidade…

(*)Site da ASBIA (Associação Brasileira de Inseminação Artificial). Em outras seções do mesmo site, você pode acompanhar a “evolução” da inseminação artificial no Brasil. Já não basta mais achar-se no direito de dispor da vida dos animais. Já não basta mais usurpar o leite, que não é feito para alimentar seres humanos, mas bezerros. Agora se tem que desrespeitar a natureza do animal e violar as vacas para que engravidem de acordo com os caprichos dos seres humanos. É isto que você quer consumir?

1 comentário:

Mª de Lourdes disse...

http://www.slate.com/articles/health_and_science/feed_the_world/2014/05/meat_eating_and_climate_change_vegetarians_impact_on_the_economy_antibiotics.html