junho 15, 2010

A carne e a evolução humana.

Em uma competição anual e mundial de propaganda (YoungGuns ), a agência uniu-se ao órgão americano PETA em 2006 para um desafio: criar anúncios para educar os consumidores sobre os horrores da indústia da carne de galinha. O anúncio acima diz:
"Você faria isso ao seu gato"?




Enquanto carnívoros sentem prazer em matar animais e comer sua carne, qualquer humano que matou um animal com suas próprias mãos e abriu seu corpo seria considerado uma ameaça à sociedade. Animais carnívoros se excitam ao sentir cheiro de sangue e à emoção da caçada à sua presa. A maioria dos humanos, em contrapartida, sente nojo ao ver carne destroçada e não tolerariam ouvir animais gritando enquanto são cortados vivos e consequentemente mortos. A sangrenta realidade de comer animais nos é repulsiva, o que é apenas mais uma prova de que não deveríamos comer carne.




SE REALMENTE FÔSSEMOS CARNÍVOROS, PORQUE A CARNE ESTÁ NOS MATANDO?

O perigo que uma dieta baseada em carne confirma que não deveríamos comer carne. Carnívoros naturais nunca sofrem de doenças do coração, câncer, diabetes, derrames ou obesidade, doenças que aparecem em humanos pelo consumo de gordura saturada e colesterol da carne.

Estudos mostram que mesmo alimentados 200 vezes mais a quantidade de gordura animal e colesterol que a média das pessoas consomem à cada dia, carnívoros não desenvolvem a obstrução das artérias que levam às doenças do coração e derrames que atacam os seres humanos. Sem dúvida, os pesquisadores descobriram que é impossível carnívoros terem suas artérias obstruídas, independentemente da quantidade de gordura animal que eles consumam.

Carnívoros são capazes de metabolizar toda a gordura e o colesterol contido na carne, mas com os humanos a história não é a mesma: nossos corpos não conseguem processar a carne animal; desta forma todo o excesso de gordura e colesterol de uma dieta baseada em carne nos deixa doentes. Doenças coronárias, por exemplo, é a doença causadora de morte número 1 nos Estados Unidos, de acordo com a AHA ( American Heart Association ), e especialistas médicos concordam que esta doença é o resultado do consumo de alimentos animais. De fato, aqueles que consomem carne têm 50% a mais de risco de desenvolverem alguma doença do coração do que os vegetarianos, e uma dieta totalmente vegetariana ( pobre em gordura ) tem sido repetidamente utilizada para desobstruir as artérias do coração de pacientes doentes – não só previne mas também trata a doença!

Sinais de que o seu coração não está bem

Além dos estragos citados acima, cientistas também mostraram que comer proteína animal pode ser perigoso à saúde humana. Nós consumimos 2 vezes mais proteína do que precisamos quando comemos carne, e isto leva à osteoporose e pedras nos rins. Proteína animal eleva o nível ácido no sangue humano, fazendo com que o cálcio seja “expulso” dos ossos para reconstruir o PH natural do sangue. Este problema leva à osteoporose, e o cálcio acaba indo parar nos rins, onde podem-se formar pedras. Este esforço de processar todo o excesso de proteína animal da carne também pode causar doenças nos rins.

O consumo de proteína animal também está ligado ao câncer de cólon, mama, próstata e pâncreas. De fato, de acordo com o médico Colin Campbell ( diretor do projeto Cornell-China-Oxford de Nutrição, Saúde e o Ambiente ): “Nos próximos 10 anos, uma das coisas que você mais vai ouvir falar é que a proteína animal.. .é um dos nutrientes mais tóxicos que existem”.


Comer carne também traz conseqüências negativas quanto à potência sexual. Um estudo dinamarquês indicou que: “Homens exercitando-se numa bicicleta ergométrica até que os músculos fatigassem levaram em média de 114 minutos em uma dieta baseada em carne e vegetais; 57 minutos em uma dieta baseada principalmente em carne e o impressionante tempo de 167 minutos em uma dieta estritamente vegetariana”. Além da resistência física elevada em relação às outras duas categorias, os vegetarianos são menos prováveis de sofrerem de impotência.
Viva com saúde!

Já que não temos ácidos estomacais fortes como os carnívoros para matar todas as bactérias da carne, comer carne torna-se ainda mais perigoso devido à intoxicação alimentar. De fato, carne é a causa de 70% de doenças com relação à alimentos nos Estados Unidos porque normalmente está contaminada com bactérias como E coli, listeria e outras bactérias.

Todos os anos, só nos Estados Unidos, 75 milhões de pessoas adoecem com a intoxicação alimentar e mais de 5.000 morrem. Enquanto carnívoros podem processar a gordura saturada, proteína e bactérias da carne animal, uma dieta baseada em carne manda as pessoas para o túmulo mais cedo. Está mais do que óbvio que os seres humanos não devem comer carne.

Então, se faz tão mal e é anti- natural a ingestão de carne pelos humanos, porque nossos ancestrais se sustentavam de carne animal?

Durante a maioria de nossa evolução, nós éramos vegetarianos. Você pode comprovar esta tese olhando para os macacos, nossos parentes mais próximos, que são predominantemente herbívoros. Assim como os macacos, nossos corpos evoluíram para comer frutas, vegetais e grãos. Vegetais – e a habilidade de cozinhá-los – levou à evolução de cérebros maiores, dentes menores, proporções modernas dos membros e até mesmo a ligação macho-fêmea. Comidas como batatas foram a base da dieta dos nossos ancestrais.

A inclusão de modestas quantias de carne só apareceu depois que o homem dominou o fogo, o que nos permitiu comer carne sem nos tornarmos a presa. Esta prática não tornou nossos ancestrais carnívoros, mas sim fez com que eles comessem carne quando havia períodos de escassez de plantas e frutos ( devido às mudanças climáticas ). Durante este período, que começava há um pouco mais de 1 milhão de anos atrás, os humanos começaram a caçar os animais para sobrevivência devido às grandes mudanças climáticas durante suas migrações.

HUMANOS MODERNOS

Seres humanos mais recentes ( Homo Sapiens ) evoluíram há 150.000 anos atrás na África e logo em volta do mundo. Com o aparecimento da agricultura, certa de 23.000 anos atrás, os humanos começaram a juntar sementes e a cultivar plantações para obtenção de suplementos alimentares consistentes. Nossos ancestrais ocasionalmente matavam os animais por sua carne, mas ainda assim a maior parte de sua nutrição provinham das fontes de plantas. Até recentemente, somente as pessoas muito ricas podiam alimentar-se, criar e matar animais para comê-los. Conseqüentemente, antes do século 20, só os ricos morriam de doenças como ataques cardíacos, obesidade e derrames.


DICA: Trocar o leite de vaca pelo de soja pode ser uma boa se você tem intolerância à lactose ou quer aproveitar os benefícios do grão. Está comprovado que as isoflavonas da soja protegem os ossos e reduzem o colesterol ruim. Também parece que amenizam os sintomas da TPM e da menopausa. Mas, para não faltar proteína - já que a soja vai entrar no lugar do leite, campeão de proteína -, olhe o rótulo. "O ideal é que o leite de soja tenha cerca de 6 gramas de proteína em 200 mililitros", diz Liliana Bricarello, nutricionista da Universidade Federal de São Paulo. Essa medida é encontrada no Ades Original, Ativa Soy e Supra Soy. Você ainda pode consumir outros alimentos à base de soja como tofu,missô e shoyu.
Fonte

Sem comentários: