abril 01, 2010

Sementes de Chia







Comer sem glúten é aprender uma coisa nova todos os dias. O nome de um cereal/grão/fruto, de palavras curiosas tipo maltodextrina e de outros alimentos que fazem bem à saúde como kéfir, kombucha e sementes de chia (sálvia hispânica).


Umas microsementes com mais proteínas, fibras e ómega 3 do que vários alimentos comuns juntos. Vários estudos indicam que as sementes ajudam à recuperação dos intestinos e fazem
com que a absorção do açúcar seja mais lenta.


Há sementes cinzentas, castanhas, pretas e brancas. A variedade de sementes brancas é designada como Salba. A espécie cultivada na América do Sul desde o tempo dos Aztecas pode ser adquirida sob a forma de semente ou farinha.

Como as sementes conseguem absorver várias vezes o seu peso de água formando uma espécie de gelatina (ver imagem acima) são óptimas como substituto de ovo, ainda melhor do que o gel formado com sementes de linhaça.

A farinha que resulta da moagem das sementes também começa a ser muito utilizada em receitas sem glúten, sozinha ou em conjunto com outras farinhas sem glúten como a de arroz integral, com bons resultados.

Fonte




O que é a chia? A chia é uma semente mágica com propriedades nutritivas especiais para as aves.

A chia (Salvia hispanica L.) é uma pequena semente de forma oval (2 mm de comprimento) de cor acastanhada clara e oriunda do México, onde a sua composição especial e as suas propriedades benéficas para a condição física foram detectadas já há centenas de anos. Durante séculos as sementes nutritivas da chia formaram o alimento base dos Índios indígenas do sudoeste da América.

Hoje em dia, estudos científicos provam que a chia proporciona grande número de nutrientes interessantes, de tal modo que esta semente mágica é momentaneamente redescoberta pelos nutricionistas e está ganhando rapidamente uma enorme popularidade, quer seja na alimentação humana ou na dos animais. Actualmente a chia é cultivada para fins comerciais no México, Argentina, Bolívia, Peru e Colômbia.

A composição da chia pode ser comparada com a de outras sementes mucilaginosas como a linhaça e o psílio. Ao contrário da linhaça, a chia não contém factores anti-nutricionais, factores que no caso da linhaça limitam a sua utilização sem tratamento de calor preliminar. Factores anti-nutricionais são os glicósidos cianogénicos ou linatina, que são antagonistas da vitamina B6, o que na realidade quer dizer que impedem a vitamina B6 de actuar no metabolismo. Além disso, a chia tem um sabor muito mais agradável do que a linhaça de tal modo que os pássaros a ingerem com mais apetite.




A chia contém não menos do que 23 % de ácidos gordos poli insaturados, dos quais 18 % sob forma de ácido linoleico. Com isso é a semente com o mais alto teor de ácidos gordos omega-3 no mundo vegetal. Os ácidos gordos omega-3 são ácidos gordos absolutamente indispensáveis para o Homem e para os animais; entre outros aumentam a resistência contra doenças e têm propriedades anti inflamatórias. Além disso o óleo da chia é rico em antioxidantes naturais (e.o. ácido clorogénico e ácido cafeico). Assim, o óleo da chia tem uma forte actividade antioxidante e impede a oxidação das gorduras (= ranço). Isto explica a razão pela qual os ácidos gordos omega-3 administrados através da chia são extremamente estáveis e podem ser conservados durante muito tempo, contrastando com o que se passa com a maior parte das outras fontes de omega-3.

A chia pertence, exactamente como o psílio e a linhaça, às sementes mucilaginosas. Estas sementes são de facto ricas em mucopolis-sacarídeos e constituem uma excelente fonte de fibras alimentares solúveis e insolúveis. São os mucopolissacarídeos solúveis que formam um gel mucoso incolor à superfície das sementes, quando entram em contacto com a água. Quando se mete um punhado de sementes de chia num copo de água, constata-se que após alguns minutos o copo está cheio com um tipo de gel pectinoso. Estas mucilagens são benéficas para os intestinos. Em primeiro lugar podem fixar até 12 vezes o seu peso em água, o que faz que melhorem a qualidade e a consistência das fezes em caso de diarreia. Além disso estes mucopolissacarídeos constituem também uma camada de mucilagem na parede intestinal de tal modo que as bactérias patogénicas são travadas nos seus efeitos danificadores e que as mucosas do intestino possam recuperar mais depressa.

A chia é também uma boa fonte de proteínas de alta qualidade com um excelente padrão de aminoácidos. Também é rica em minerais (e.o. 0,65 % de cálcio, um valor muito mais alto do que na maior parte das outras sementes); é fácil de compreender que esta semente milagrosa constitua um óptimo ingrediente para as melhores misturas Prestige Premium para pássaros.


3 comentários:

Anónimo disse...

Ola. Gostaria de saber onde posso encontrar sementes de chia a venda no Brasil. Estou em Minas Gerais.
Obrigada,
Heloisa

Maria Isabel disse...

expolimpochia@hotmail.com

Maria Isabel disse...

expolimpochia@hotmail.com