abril 14, 2010

Campanha Contra a Crueldade

Manual do ativista dos direitos dos animais  

1. O direito dos animais começa em SEU PRATO

"Não matar" - Bíblia

Se você ainda come carne... 
Talvez você ame os animais e acredite que pode consumir a carne de animais abatidos de forma humana e considere a vivisecção e o consumo de vitela deploráveis.
Temos algo a lhe dizer. Toda granja de criação de animais é um campo de concentração. Os filhotes são separados da mãe, os machos indesejáveis são exterminados, os animais cansados são mortos ao com um quarto da extensão de sua vida normal, mesmo em fazendas os animais são criados em 'pastagens naturais' ou de forma orgânica. Quanto ao abate humano, não significa nada além do que dizer, "construímos uma câmara de gás melhorada". Se duvida disso, recomendamos que visite o abatedouro mais próximo.

É certo ter uma regra para cachorros e outra para porcos, que são igualmente inteligentes? 
É certo condenar o comércio de vitela e comer a carne da mãe do vitelo que chorou e se lamentou dias depois que seu filhote foi-lhe tirado e colocado em um engradado? É certo tirar os peixes para fora da água e deixá-los lentamente morrer sufocados?

Não existe carne livre de crueldade. O único hambúrguer sem sangue é o hamburguer vegetariano. A única salsicha sem crueldade é a salsicha de soja. A única torta de peixe condizente com a ética é a torta feita sem peixe!
Viver sem crueldade não significa privar-se de tudo. Experimente produtos alternativos, como tofu e tempeh. Há uma grande quantidade de pratos deliciosos que não envolvem matança e crueldade. Compre um livro de receitas e experimente versões vegetarianas das refeições tradicionais ou os deliciosos pratos da cozinha asiática, indiana, árabe ou tailandesa. Se detesta cozinhar, lance mão às fabulosas comidas prontas encontradas em lojas de produtos naturais ou supermercados.
Certamente todos os animais têm o direito a viver uma vida livre e satisfatória. Não existe qualquer nutriente na carne que não seja encontrado nos alimentos de origem vegetal, que são isentos de gordura saturada, colesterol, pesticidas e resíduos hormonais, salmonellalisteria, BSE (doença da vaca louca) e uma longa lista de outras coisas terríveis. Não existe deficiência nutricional que seja mais comum em vegetarianos e vegans do que em carnívoros, mas todas as doenças degenerativas, como câncer de colo e doenças cardíacas são mais comuns em carnívoros.
Não há nenhum argumento convincente a favor da alimentação carnívoramas muitos contra. Livre-se do frango, descarte o bife, largue o perú e deixe pra lá o peixe. Seu organismo agradecerá por isso com um coração saudável, mais energia e, em média, seis anos a mais de vida. Quanto aos animais, eles certamente agradeceriam se pudessem.

Se você é vegetariano...
Você acredita que o leite e o queijo são adequados em uma dieta vegetariana porque ninguém morreu para que fossem preparados? Pense novamente! O mamíferos produzem leite somente depois do nascimento de seu filhote. Apenas fazendo-os ficar prenhes todos os anos (em geral por inseminação artificial), e então tirando-lhes seus filhotes com poucos dias de vida podemos obter seu leite. Sem a indústria de lacticínios não haveria a indústria de carne e de vitela. Portanto, o leite não é mais aceitável aos vegetarianos por razões éticas do que a carne de vitela.
Você pode estar pensando, "Espera aí!, eu recém virei vegetariano e agora você está sugerindo que eu deixe de comer queijo também?" Com certeza, ao não comer a carne dos animais você estará contribuindo muito mais para ajudar os animais do que os carnívoros. É ótimo que seja vegetariano, mas não pare por aí por muito tempo.Como vegan você terá três chances por dia de salvar o dobro de animais e cortar todas as ligações com o abatedouro.
Talvez você tenha experimentado leite de soja e não tenha gostado. Há várias marcas no mercado e o sabor e a doçura varia segundo as marcas. Opte por uma marca adocicada por algumas semanas e então achará o gosto do leite de vaca ruim e gorduroso. Procure nas lojas de produtos naturais queijo, creme, maionese, iogurte e sorvete de soja (como as marcas Swedish Glace e Tofutti). Examine os ingredientes da margarina para ver se contém lactose, caseína, soro, óleo de peixe e outros produtos animais.
Não há uma definição legal para animais criados soltos (caipiras) e a maioria dos frangos chamados de caipiras são criados em condições de confinamento. Um pequeno número de frangos tem espaço para exercitar-se apropriadamente e viver uma vida satisfatória. Lembre-se também que em cada granja de produção de ovos os pintos machos são mortos com horas de vida.
Dê uma voltinha nas páginas recursos para obter informações sobre literatura recomendada e grupos que podem ajudá-lo a encontrar produtos vegan. Temos certeza que em vez de sentir falta dos produtos a que está acostumado, ficará maravilhado em como conseguiu sobreviver sem as delícias que estão esperando que você as descubra.

...não falamos apenas de comida.
Se você não come o que está dentro, por que usa o que está fora? Você não será levado a sério se fizer campanha contra o uso de peles e continuar usando couro, que é simplesmente a pele da vaca sem os pêlos, ou camurça, que é a pele de porco sem os pêlos, ou a lã, pois é errado acreditar que a ovelha não se importa que retirem sua lã. A tosquia é um processo violento, em que a tímida ovelha perde sua cobertura e fica em geral com cortes e machucados. 80% da lã vem da Austrália, um país quente onde 1/3 das ovelhas morre de exaustão e desidratação devido ao calor. Da mesma maneira que as vacas leiteiras, as ovelhas são abatidas relativamente jovens, quando sua lã está perdendo a qualidade. Lã e carne de cordeiro, couro e carne de boi fazem parte igualmente da indústria sangrenta que escraviza os animais.
As alternativas modernas, como sapatos vegetarianos feitos com um material chamado lorica ou roupas feitas de gortex, Thinsulate ou tecidos acrílicos são superiores ao couro e à lã.
O primeiro passo para tornar-se um ativista e fazer campanha contra a crueldade aos animais é colocar sua própria casa em ordem. Não se trata de desistir de muitas coisas, mas de substituí-las por alternativas melhores e mais compassivas. É muito mais fácil do que você imagina. Você pode proporcionar às peles de animais que possui um decente enterro, ou dá-las para alguém que precise. Se não puder comprar substitutos, use-as até estragarem e então compre algo mais compassivo.Quanto antes começar a usar roupas sem crueldade, menos constrangimento passará quando carnívoros o chamarem de hipócrita.

Se você já é vegano...
Ótimo! mas não fique aí parado. O fato de ter lido este livro até aqui prova que você se preocupa com o sofrimento dos animais e realmente deseja ajudar a acabar com ele. A quantidade de animais caçados, presos em armadilhas, explorados em circos e torturados em experiências todos os anos chega a muitos milhares, mas é ainda pequeno comparado aos bilhões de animais que sofrem e morrem como resultado da agricultura animal. 
Ser vegano e incentivar outras pessoas a fazer o mesmo é a melhor forma de salvar milhares de animais do sofrimento e do abate.
Fonte: Sítio Veg

Sem comentários: