abril 15, 2010

As baleias precisam de você!

Proteste contra a matança: 



Dinamarca: uma vergonha mundial



O mês de abril é uma época perigosa para as baleias nas águas norueguesas, pois marca o início da estação de caça. Em 2010, chegaremos ao número de 1.286 baleias minke que serão mortas com arpões explosivos e tiros. Diga à Noruega que isso é inaceitável, AGORA! 


Whalewatch.org
A Noruega é um dentre apenas três países que desafiam a proibição internacional à caça comercial das baleias, comprometendo a sua reputação como uma nação progressista, preocupada como o bem-estar animal.Tendo em vista o enorme tamanho das baleias, bem como o desafiador ambiente de caça, é simplesmente impossível que o abate seja feito de forma humanitária no mar. Os próprios dados da Noruega mostram que pelo menos uma em cada cinco baleias vivencia um longo sofrimento, agonizando até a morte. Algumas levam até mais de uma hora para sucumbirem às feridas.

Uma crueldade totalmente desnecessária. 
Uma pesquisa de opinião em 2009 apontou que a maioria dos noruegueses considera inaceitável o sofrimento acarretado pela caça às baleias, e que apenas 1% da população consome carne de baleia regularmente.

Apesar disso, a Noruega continua desafiando a proibição à caça de baleias: a cota comercial de abate em 2010 é a maior em 25 anos. O governo alega receber poucas críticas acerca da caça às baleias. É hora de mudar essa situação.
Não fique parado. Faça com que abril seja o mês das baleias, e não de seus caçadores!

Nesse mês, membros da Whalewatch (a Dyrebeskyttelsen Norge, a NOAH – for dyrs rettigheter e a WSPA - Sociedade Mundial de Proteção Animal) enviarão um abaixo-assinado ao Primeiro-Ministro da Noruega exigindo um fim para a caça comercial de baleias. O abaixo-assinado já conta com a assinatura de milhares de noruegueses.

Ajude-nos a mostrar que o mundo está unido aos noruegueses. Assine esta carta, dizendo ao Primeiro-Ministro da Noruega que atenda a exigência de seus cidadãos, pondo um fim a essa crueldade.
A seguir verão o mar tingido de vermelho, entretanto, não é devido aos efeitos climáticos e poluição..

Se deve a crueldade com que os seres humanos, conhecidos por seres civilizados, matam centenas dos inteligentíssimos GOLFINHOS CALDERON.
Todos os anos, na Ilha de Feroe, na Dinamarca, o massacre é feito por jovens. Por que? Para demonstrar que estes mesmos jovens já chegaram a uma idade adulta e estão "maduros". 
A celebração é pura diversão para eles, onde todos participam de forma cruel ou mesmo apoiando como espectador.
O Golfinho Calderon se aproxima do homem unicamente para interagir e brincar, gesto de cordialidade e docilidade. Eles não morrem instantaneamente, são cortados algumas vezes com ganchos grossos. Neste momento os golfinhos emitem um som estridente que mais se assemelha ao choro de um recém-nascido.
Não há compaixão a dor. Os dóceis golfinhos sangram lentamente e sofrem com as enormes feridas até perderem a consciência e por fim morrem.
Então, quando mortos, os "heróis" da ilha são vistos como adultos - serão considerados racionais e direitos?!? - para eles é um ato para demonstrar maturidade.
As fotos são de cortar o coração das pessoas do bem e que desejam preservar a natureza. Vamos salvar nosso mundo!

Temporada de caça às baleias fracassa e Japão critica Sea Shepherd

Frota caçou na Antártida metade do número previsto de baleias; guerra com ambientalistas promete recrudescer em junho

A frota baleeira japonesa encerrou ontem (12) a temporada de caça na Antártida com 507 baleias, metade das 935 previstas. O capitão da frota, Shigetoshi Nishiwaki, atribuiu o fracasso da expedição de cinco meses aos ambientalistas da entidade Sea Shepherd, informam os sites da BBC e do Guardian. Em anos recentes, a Sea Shepherd, têm usado barcos para perseguir navios japoneses e impedir a captura de baleias. A tática de guerrilha teve seu ápice em janeiro, quando uma lancha hi tech da entidade, a Ady Gil, afundou depois de colidir com o navio arpoador Shonan Maru 2.
Nishiwaki disse ter ficado “furioso” com as investidas dos ambientalistas em alto-mar, que paralisaram a frota japonesa por 31 dias. “Eles dizem que protegem o mar, mas não se importam de vazar óleo ou deixar para trás de pedaços de barco”, disse, referindo-se à Ady Gil.
Fonte

Caça à baleia na Noruega será a maior em 25 anos

O governo da Noruega, que, ao lado do Japão, é um dos países que mais caçam baleias, autorizou os caçadores a matar este ano 1.286 animais, a maior cota dos últimos 25 anos. Ativistas contra a caça de baleias estão preparando protestos, já que as cotas fixadas pelo governo norueguês são unilaterais e desafiam a proibição global à caça comercial do animal.

"A decisão unilateral do governo da Noruega de permitir a maior caça em 25 anos desafia a lógica, assim como a opinião popular naquele país", disse Claire Bass, gerente de Mamíferos Marinhos da Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA, na sigla em inglês).
Segundo ela, o mercado para produtos derivados da carne de baleia está em declínio. "Estipular uma cota absurdamente grande não irá mudar isso."
No Japão, o polêmico programa de "caça científica", como chama o governo, pretende matar 1.280 baleias este ano, apesar de haver grandes estoques de produtos derivados de baleias, que lotam os depósitos.
...
Fonte

Noruega está em temporada de caça de baleias
  
Neste ano os caçadores noruegueses irão matar 1.286 baleias, a cota mais alta estabelecida pelo governo da Noruega nos últimos 25 anos
  
Exposição Eye to Eye da WSPA    
Baleia Jubarte

Por Bernardo Torrico - WSPA
A WSPA (Sociedade Mundial de Proteção Animal) considera estranhamente propício que a Noruega escolha começar outra temporada de caça de baleias no dia mundialmente conhecido como “Dia da Mentira”, como foi o primeiro de abril. Ativistas contra a caça de baleias estão ainda mais impressionados com o fato de que neste ano os caçadores noruegueses irão matar 1.286 baleias – a quota mais alta estabelecida pelo governo da Noruega nos últimos 25 anos.
“A decisão unilateral do governo da Noruega de permitir a maior caça em 25 anos desafia toda a lógica, assim como a opinião popular naquele país”, disse Claire Bass, Gerente de Programas de Mamíferos Marinhos da WSPA, que completou: “O mercado para produtos derivados da carne de baleia simplesmente não existe e estipular uma quota absurdamente grande não irá mudar isso”.
A quota deste ano é a maior desde que a Noruega começou a estipular suas próprias quotas, de maneira unilateral, desafiando a proibição global à caça comercial de baleias. E ela vem num momento em que há uma queda na demanda de carne de baleia. Na verdade, os números inflados deste ano se devem em grande parte à quota não aproveitada de 401 baleias de 2009, quando os caçadores noruegueses terminaram sua temporada de forma prematura justamente por esse colapso na demanda doméstica por carne de baleia. (nota 1)
Numa prova incontestável da queda de demanda, “Norges Råfisklag” (a associação comercial dos pescadores noruegueses), responsável por fixar anualmente os preços mínimos para a carne de baleia, viu esses preços caírem para o módico valor de 30 kroner noruegueses (aproximadamente R$8 por quilo), muito mais barato que a carne bovina por lá.
Apesar dessa evidência, a Noruega agora compete com o Japão no que diz respeito ao número de baleias que mata. Este ano o programa de “caça científica”, como chama o governo japonês, pretende matar 1.280 baleias, apesar do estoque de milhares de toneladas de produtos (não vendidos) derivados de baleias, que atualmente lotam os depósitos japoneses.
“O governo norueguês precisa parar de defender e justificar essa indústria cruel e desnecessária quando seus recursos seriam muito melhor investidos no desenvolvimento do turismo de observação de baleias, que é muito mais lucrativo, sustentável e humanitário para com as baleias”, concluiu Claire. (nota 2)
Trabalhando em conjunto com parceiros noruegueses, a WSPA organizou a exibição chamada Eye to Eye (“Olho no Olho”), com fotos de baleias em tamanho real. (nota 3) As pessoas que visitam a exposição têm manifestado sua oposição à caça de baleias na Noruega participando de um abaixo-assinado que será apresentado ao Ministério da Pesca daquele país até o final de abril, solicitando uma revisão urgente da política de caça de baleias da Noruega. A mostra, que atualmente se encontra na estação central de Oslo, já rendeu 3.600 assinaturas. Essas pessoas que assinaram e outros noruegueses concordam que a caça comercial de baleias é arcaica, desnecessária e desumana, que não tem lugar numa sociedade progressista e moderna como a da Noruega.









Greenpeace bloqueia carregamento de carne de baleia

Quinze activistas da organização ecologista Greenpeace acorrentaram-se hoje de manhã às amarras Fontede um cargueiro transportando carne de baleia com destino ao Japão no porto holandês de Roterdão.

Fonte


Sem comentários: