fevereiro 04, 2010

Cozinha vegana no FSM: A ALDEIA DA PAZ




por Claudia Lulkin, Nutricionista Ambientalista e Educadora Popular


A ALDEIA DA PAZ é o ponto de convergência “espiritualtermundista” – politizando os processos espirituais e espiritualizando a política.
Tem como bandeira a bandeira da Paz, do Calendário Maia, a bandeira branca com um círculo em ´vinho e tres bolas dentro desse círcuo que representam o encontro entre a ARTE, a CIÊNCIA e as RELIGIões, visão ecumênica que reúne todas as manifestações. O calendário Maia chama-se SINCRONÁRIO. è aí que as sincronias acontecem todo o tempo, orientando cada indivíduo numa CULTURA DE PAZ. A Arte é um valores maiores: TEMPO É ARTE.

Fotos: Claudia Lulkin

O calendário Maia segue o movimento da natureza, das LUNAÇÕES, de 28 em 28 dias e não de 30 ou 31 dias como o calendário gregoriano.
Na ALDEIA DA PAZ se pratica a auto-gestão, a sustentabilidade e Economia Solidária.
O alimento é vegano e é “pago” através do CHAPÉU MÁGICO, que é passado junto com as refeições.
Quanto melhor, mais deliciosa, mais bem elaborada e mais cheia de amor a comida, melhor funciona o chapéu mágico.

Por duas vzs nesta Aldeia o chapéu recebeu 50 reais. E ganhou um azeite de oliva de primeira extração, orgânico- premiado em Portugal com prêmio italiano.
Todos os espaços são construídos coletivamente e são “encantados” – embelezados com ARTE, para gerar mais alegria, encantamento e boas energias. A Cozinha ECOmunitária ganhou um fogão de chão, um forno para pães e tortas, duas bocas “foguete” feitos de BARRO AMASSADO coletivamente e cobertura de bambu em forma de tartruga.

A ALDEIA abriga o FOGO SAGRADO que é aceso antes do início do Fórum e fica aceso ao longo deste, sendo apagado somenteapós o final. o final.
Neste ano o ritual de acender a fogueira contou com a presença de vários sacerdotes de inúmeros movimentos religiosos: harekrshna, umbanda, naya bing, com muita percussão e encantamento.

A ALDEIA teve seu próprio palco, que é bem pouco acima das pessoas que ficam dançando em sua frente, pois no palco estão “irmãos” que já fazem suas próprias músicas e que “encantam” a festa à volta do fogo sagrado.
Todos os dias são feitas duas rodas de decisões coletivas e da escolha de voluntários para os trabalhos diários: buscar lenha, fazer as composteiras, limpar os banheiros secos, escolher ajudantes da cozinha…

Neste ano tivemos também a TENDA DE SUOR – TEMASCAL, ritual de fortalecimento de propósitos e a Tenda da Cura, onde se fizeram chás, pomadas, xaropes, cânticos.
A ALDEIA ainda abrigou a PRODUTORA CULTURAL COLABORATIVA que utilizou software livre para baixar fotos, vídeos e manter conexão com o mundo ao longo de todo o evento.
A ALDEIA começou a ser construída a partir do dia 15 de janeiro.
Ainda a FLOR DAS ABELHINHAS, espaço de brincadeiras, alimentação vegana e atenção às crianças da própria ALDEIA e do ACAMPAMENTO, único espaço para crianças, a TENDA GALÁTICA, local para oficinas sobre o Calendário Maia, sobre Xamanismo, sobre Moradas Circulares feitas com bambu…E o pórtico de entrada onde se situam os preceitos de quem participa da ALDEIA e onde são recebidos os novos aldeões e/ou visitantes, locais sempre “encantados” com ARTE.
Essa tecnologia social está alicerçada na ECOPEDAGOGIA E CIDADANIA do Instituto Paulo Freire, sob a direção de Moacir Gadotti, nos 34 anos do ENCA (Encontro de Comunidades Alternativas do Brasil), do Movimento do RAINBOW no mundo inteiro, nos “CHAMADOS DO BEIJA-FLOR” – encontros de visões.
Único espaço de garantida alimentação vegana.
www.iteia.org.br/aldeiadapaz2010

Alguns focalizadores: Leal Carvalho – maestro, compositor, de São Tomé das Letras; Marcos Mandala – bioconstrutor, calendário Maia, vive nas montanhas prox à Curitiba; Oscar – Xamã, guardião do fogo em todas as Aldeias da Paz do FSM nestes 10 anos; Marcos Ninguém, Nara e Fábio – Estação de Permacultura Aldeia 2012; Thomaz Enlazador – ecopedagogo da ONG Bicho do Mato, Pernambuco; Kaline Ribeiro – Bicho do Mato ; Claudia Lulkin – nutricionista; e Marco Krug – designer, paisagista e arte-reciclador da cozinha vegana de Porto Alegre; Mestre Chico – griô, educador popular; Zé do Rio – griô, poeta, escritor; Boriqua – representante do povo Boriqua de uma das ilhas das Antilhas (Porto Rico); Sieli – mãe da Estrelinha, focalizadora da Flor das Abelhinhas, viveu por 5 anos na Itália, Espanha e Portugal; Dario – italiano; e Julia, argentina, focalizadores do TEMASCAL; Maria Medianeira – psicopedagoga do Paraná, profunda conhecedora de Plantas Medicinais; Pedro Jatobá – designer, proponente da Produtora Cultural em software Livre e muitos muitos outros mais.

Sem comentários: