janeiro 26, 2010

Prefeitura de SP aumenta rigor sobre carne e testa merenda vegetariana

O prefeito Gilberto Kassab sancionou uma lei que exige de cada vendedor de carne à prefeitura de São Paulo um histórico da origem de cada lote, desde o início da cadeia produtiva.

O documento deve comprovar que a carne não é oriunda de áreas desmatadas ilegalmente, terras indígenas ou áreas embargadas da Amazônia. Também deve mostrar que não foi empregado trabalho escravo ou infantil.

O autor da lei é o vereador Roberto Tripoli (PV) (visite o site). “Não podemos mais destruir nenhuma área de floresta ou cerrado, em nome da necessidade de produzir alimentos”, diz ele.



Merenda



Ele acrescenta que também tem o objetivo de “rediscutir o cardápio da merenda escolar na cidade, visando à redução gradual de todas as carnes”. Para isso, uma emenda de sua autoria ao orçamento municipal, aprovada em dezembro, destina verba para um projeto piloto de merenda escolar vegetariana. São R$ 500.000 para a Secretaria de Educação aplicar por um ano em três escolas municipais simpáticas ao projeto.



“Isso foi discutido na Comissão de Estudos sobre Animais, que eu presidi, e estou fazendo gestões para que seja possível a conscientização dos alunos e, sobretudo, de suas famílias, a respeito das inúmeras possibilidades saudáveis de alimentação, sem envolver a matança de animais”. A prefeitura tem agora um prazo de 60 dias para regulamentar a lei, sancionada no último dia 14, e passar a fiscalizar o seu cumprimento.

Sem comentários: