janeiro 11, 2010

Entrevista da EVANA com Mateus Mendes de Portugal sobre a Semana Vegetariana Internacional

“A dieta vegetariana é muito mais amiga do ambiente. Elimina um elo da cadeia alimentar. É talvez a mais importante mudança de estilo de vida necessária para reduzir o aquecimento global.”


O interesse geral no vegetarianismo cresce cada vez mais e há mais personalidades a envolver-se na promoção deste modo de vida compassivo e benéfico. Em Novembro de 2009, Brigitte Bardot apelou a um Dia Vegetariano Europeu. Algumas semanas depois, Paul McCartney e o Dr. Rajendra K. Pachauri estiveram no Parlamento Europeu a promover o vegetarianismo como a arma mais eficaz no combate contra as alterações climáticas: “Menos Carne = Menos Aquecimento”. Recomendaram a introdução de um dia sem carne por semana para ajudar a reduzir as emissões de CO2.
Outra prova da importância acrescida de um estilo de vida vegetariano foi o enorme sucesso da “Semana Vegetariana Internacional 2009” na qual estiveram envolvidas organizações não governamentais (ONG) de muitos países. Quisemos saber mais sobre a semana sem carne e questionámos Mateus Mendes, que está a promovê-la com tanto sucesso.




EVANA: Mateus, deves estar muito satisfeito com o sucesso da “Semana Vegetariana 2009”. Esperavas este enorme interesse internacional?
Mateus Mendes: É claro que estou muito satisfeito. É gratificante ver as coisas a funcionar. Quando tudo começou eu esperava alguma reacção mas as coisas acabaram por se revelar muito melhores do que eu pensava.



Pergunta: Qual é o objectivo da Semana Vegetariana?
Resposta: No passado já houve semanas vegetarianas nacionais e internacionais, organizadas a nível nacional ou local. Por isso pensámos, “Porque não unirmos esforços e ajudar-nos mutuamente?”
O objectivo da Semana Vegetariana é, por isso, principalmente partilhar ideias e recursos para que possamos ter muitas organizações a promover o estilo de vida vegetariano ao mesmo tempo. Ao trabalharmos juntos conseguimos alcançar muito mais e com menos esforço do que trabalhando isoladamente.



Pergunta: Como se organiza esta Semana Vegetariana? Quantas pessoas ou organizações estão envolvidas?


Resposta: A campanha está dividida em três níveis diferentes: internacional, nacional e local.
A nível internacional apenas partilhamos ideias e recursos como modelos de design. A maioria do material produzido, senão todo, vai para o site da Semana Vegetariana.

A nível nacional é competência das organizações nacionais. Adaptam os modelos às suas próprias necessidades, traduzem material, e promovem a Semana Vegetariana nos seus países.

A nível local cabe às organizações, empresas e indivíduos, organizar os eventos e promover campanhas específicas nessa semana.



Pergunta: Que ONG participaram e em quantos países?


Resposta: Em 2009 temos registos de eventos em 12 países diferentes. Não registamos todos os eventos a nível internacional – certamente terão sido centenas. Temos indicações que países como Portugal, Itália, Nova Zelândia e outros realmente mexeram bastante.



Pergunta: A participação é limitada a organizações vegetarianas ou podem participar outras ONG?

Resposta: Todos podem ajudar e são encorajados a fazê-lo. É só uma questão de ver onde se enquadram.

A cooperação a nível internacional é mais adequada a activistas com experiência ou a organizações que possam contribuir com material de campanha.
O nível nacional é mais adequado a organizações que possam adaptar o material disponível no site e promover a Semana Vegetariana nos seus países.

De resto, toda a gente pode participar e usar o material disponível ou produzir o seu, organizar eventos, divulgar e fazer o que puder para promover o estilo de vida vegetariano. Isso é fazer a Semana Vegetariana.



Pergunta: Que ajuda e que material (cartazes, designs, folhetos, etc) podem oferecer?

Resposta: Actualmente temos modelos de cartazes, folhetos, notas de imprensa, “banners” e mais material no site. Qualquer pessoa pode descarregar os modelos, traduzi-los e adaptar os materiais às suas necessidades. Se os usarem para promover o estilo de vida vegetariano, não há qualquer problema.



Pergunta: A indústria alimentar mostrou algum interesse e, em caso negativo, têm planos ou ideias sobre como cativar as empresas?

Resposta: Sim, muitas empresas têm estado envolvidas com a promoção de “workshops”, palestras ou simplesmente com a oferta de descontos durante a Semana Vegetariana. Os restaurantes em particular mostraram um grande interesse. Acredito que muitos mais se juntarão nos próximos anos. Afinal, também é uma forma de promoverem os seus produtos e serviços.


Pergunta: Este projecto dirige-se ao público em geral em vez de se restringir ao círculo dos vegetarianos, como fazem muitos outros. Que pontos são mais atractivos e interessantes para os omnívoros?

Resposta: As pessoas gostam de coisas que ajudem a quebrar a rotina. A Semana Vegetariana é uma oportunidade de experimentar algo diferente. Por exemplo, muitos restaurantes promoveram campanhas em que quem levava um acompanhante omnívoro, esse acompanhante pagava apenas 1 Euro.

Isto leva as pessoas a experimentar comida vegetariana pela primeira vez. É uma oportunidade de experimentar algo exótico e ajuda a quebrar alguma relutância que possa existir.



Pergunta: É possível que um lamentável falhanço de Copenhaga possa gerar motivação para que os envolvidos em futuras Semanas Vegetarianas se esforcem ainda mais?

Resposta: A dieta vegetariana é muito mais amiga do ambiente. Elimina um elo da cadeia alimentar. É talvez a mais importante mudança de estilo de vida necessária para reduzir o aquecimento global – e no entanto é muito mais simples que outras medidas, como deixar de usar automóveis. Por isso, sim, o facto de Copenhaga ter falhado é mais uma razão para redobrar esforços.



Pergunta: Quais são os teus planos e expectativas para a Semana Vegetariana 2010?

Resposta: Por enquanto os preparativos estão a correr muito bem.
Muitas organizações já nos informaram de que vão promover a Semana Vegetariana e muitas personalidades confirmaram o seu apoio. Por isso estou muito confiante que a Semana Vegetariana 2010 será ainda mais forte que as anteriores – está a ganhar impulso.



Pergunta: Estás muito envolvido no Centro Vegetariano português, que organiza um grande número de actividades durante as Semanas Vegetarianas. Quais são as prioridades dessa comunidade?

Resposta: O Centro Vegetariano é uma organização muito activa. A sua ferramenta e meio de comunicação mais importante é o site. É actualizado quase diariamente e é uma fonte muito completa de receitas, lista de restaurantes e quase tudo para vegetarianos. O Centro também promove campanhas regularmente, incluindo a Semana Vegetariana.
Para 2010 tem um projecto importante, o “Prémio de Mérito Académico”, que dará um prémio de 500 Euros a um trabalho académico notável sobre o estilo de vida vegetariano.


Além disso estamos a promover o vegetarianismo em Portugal, que ainda não é um país amigo do vegetarianismo. No entanto as coisas estão a melhorar a um ritmo impressionante. O número de restaurantes vegetarianos *) mais do que triplicou nos últimos 9 anos e actualizamos a lista quase todos os meses, como serviço gratuito para vegetarianos portugueses e turistas.


Pergunta: Uma última questão: como esperas que a comunidade vegetariana internacional se desenvolva nos próximos anos?
Espero melhorias substanciais. Embora o consumo de carne ainda esteja a aumentar, penso que uma mudança de dieta é inevitável. Infelizmente, o Homem tem muita inércia – não mudamos quando devemos, só quando temos de mudar. Mas temos de encontrar um modo de vida sustentável. Isso pode passar pelo consumo de carne vegana criada em laboratório ou por não consumirmos carne de todo, mas esse é o caminho. Os activistas vegetarianos têm uma palavra importante a dizer sobre isto e podem ajudar a fazê-lo acontecer mais cedo.


EVANA: Mateus, obrigado por teres respondido às nossas perguntas e desejamos-te um feliz 2010 e,claro, muito sucesso para a próxima “Semana Vegetariana Internacional” em Outubro.
Mateus: Obrigado também, EVANA, pelo óptimo trabalho em promover uma mudança por um mundo melhor!

Fonte: European Vegetarian and Animal News Alliance (EVANA)

Sem comentários: