Pesquisar neste blogue

setembro 08, 2010

Os 3 estágios da Verdade (ou Porque incomodamos muita gente)

As plantas também têm sentimentos. Coma vacas.

Tenho notado, ao longo da minha pesquisa sobre o vegetarianismo, que aqueles ditos "normais" (ou seja, que comem carne no seu dia-a-dia) se sentem incomodados pelos vegetarianos.
Sentem-se incomodados com as ideias que estes defendem e, por isso mesmo, tentam refutá-las a qualquer custo.

Primeiramente, vêm os preconceitos. Comentários desagradáveis, ignorantes e provocadores são "disparados" e as tentativas de ridicularizar a alimentação vegetariana são bastante visiveis:
"Mas há mesmo alguém que não coma carne para não fazer mal aos animaizinhos?", 
"Eu quando for grande quero andar a proteger os animais...e no final morrer por falta de nutrientes ...mas fico feliz porque morri para deixar viver mais um carapau, 3 sardinhas, 1 maruca, 2 porcos, 1 vaquinha...e 1 picanha...ups outra vaca",

 É também nesta altura que o especismo é revelado:
"Não vou abdicar do prazer de comer carne para poupar o sofrimento às vaquinhas fofinhas...", "Realmente vou tomar tofu em vez da proteína de alto valor biológico e baixa em gorduras de um franguinho... só porque um bicho que passa a vida a fazer corococo não deve morrer doutra forma que não de causas naturais."
"O problema é que anda para aqui um bando de Iluminados que acha que os animais têm tantos direitos como nós..."
 "Os animais são coisas. Coisas. Que devem ser dominadas. São criaturas de Deus e merecem respeito, mas não passam de coisas.". Chega-se até a dizer que A Declaração Universal dos Direitos dos Animais é uma "palhaçada". 

Depois, seguem-se os típicos comentários alfascistas:
"Vou começar a levitar para não provocar sofrimento às ervas que piso"
"Estou feliz porque sei que se não comer nada os animaizinhos e as plantinhas ficam vivinhos!" 

Finalmente, surge a oposição total ao Vegetarianismo. Começam os insultos, as faltas de educação e respeito pela opinião do outro.

O padrão é idêntico em vários outros temas nomeadamente as touradas, a experimentação animal, o uso de peles, entre outros. Ao deparar-me com uma discussão relativa a algum destes temas, vejo nela os 3 estágios da Verdade:
1- Ridicularização; 
2- Oposição Violenta; 
3- Aceitação.


"Primeiro é ridicularizada. Segundo, é violentamente combatida. Terceiro, é aceita como óbvia e evidente."
 Schopenhauer

Incomodamos, sim.
Incomodamos porque tivemos a coragem de fazer algo diferente, de agir de acordo com os nossos princípios.
Incomodamos porque despertamos nos outros a consciência que "talvez" a sociedade precisa de mudar, inclusive eles próprios. Afastamos as pessoas da sua zona de conforto. Não querem saber, desse modo não precisam de mudar nada. Nós quisemos saber e mudámos o nosso modo de pensar, o nosso modo de viver para um estilo de vida livre de especismo, sofrimento e tortura, mais saudável, mais respeitador da nossa casa, o planeta Terra.

Incomodamos porque evoluímos. E somos, muitas vezes, repreendidos por isso. 
Qual o Vegetariano/Vegano (ou adepto desses estilos de vida) que nunca sentiu recriminação ou preconceito? Pretendemos viver de uma forma mais respeitadora de todas as formas de vida, mais livres de problemas de saúde e diminuir o nosso impacte ambiental e somos descriminados? Os papéis estão invertidos, parece-me. Felizmente as mentalidades estão, aos poucos, a mudar e a evoluir.
O número de vegetarianos está a aumentar ao longo dos anos, assim como o número de produtos livres de derivados animais e mais respeitadores do ambiente.
Anseio pelo dia em que os produtos vegetarianos/veganos ocupem o espaço que hoje os produtos animais ocupam nos supermercados e restaurantes e que estes mesmos produtos animais permaneçam escondidos algures numa prateleira recôndita.
Anseio também pelo dia em que sejam os creófilos a ter de procurar os raros locais que sirvam ou vendam carne. E anseio pelo dia em que todos os animais chamados de comida possam suspirar de alívio e viver a vida que nunca lhes devia ter sido negada e retirada.

3 comentários:

Andreia Maia disse...

Texto magnífico! Exprime as palavras de qualquer vegan!

Anónimo disse...

Excelente texto. Só um reparo: a sociedade só muda se nós mudarmos primeiro.Tem que começar por nós...

António Paiva disse...

Não só é uma excelente exposição da verdade mas é também de tal maneira claro e evidente que se torna indispensável ser lido por TODAS as pessoas. Parabéns pelo texto, pela partilha e pela clarividência.