junho 26, 2010

O mundo vegetariano de amanhã(?)

Acho que o mundo vegetariano será o mundo do futuro.
Sem poluição, sem destruição das florestas para implantação de novos pastos, portanto sem o terrível aquecimento global.
Ao mesmo tempo será um mundo onde não se conhecerá mais parte das doenças, como as cardíacas, câncer e outras originadas da alimentação de carne. Ao mesmo tempo, o homem terá alcançado sua maior vitória, "o pensamento finalmente vence a brutalidade da indústria da pecuária". O homem perceberá a importância da ética, compreenderá o valor da vida.
Mas este mundo que no momento parece de sonho, na verdade já começou em todo o mundo. É o mundo dos vegetarianos. No momento, parecem mais sonhadores, sofrem indiferença, críticas e as vezes até perseguições. Encontram pela frente uma sociedade embrutecida por milénios de tradições cruéis. Tradições que festejam a alegria de casamentos, Natal, aniversários e muitas outras datas, com a morte. Sim, a morte de animais para que pessoas se alegrem comendo-os sem a menor necessidade, apenas por seguir tradições brutas e cruéis. Muitas pessoas alegam gostar dos animais. Até os tem como animais domésticos. Mas se são carnívoros, são um pouco hipócritas, pois quando alguém compra carne, paga também embutido no preço da carne, o salário daquele que matou o animal. Paga a morte!
Como alguém pode cuidar de um animal, até com conforto, enquanto paga para matar outro?

A vinda de um novo mundo, totalmente vegetariano é um processo demorado, mas sem retorno. No futuro os vegetarianos de hoje, serão consideradas pessoas muito adiante em seu tempo. Que já pensavam e agiam como se estivessem já no futuro. É algo semelhante ao que aconteceu com a escravidão humana. Aqueles que trezentos anos atrás falavam na libertação dos escravos, sem dúvidas, estavam adiante de seu tempo, pois toda a sociedade achava a existência da escravidão a coisa mais normal do mundo. O mesmo se pode dizer hoje com relação a libertação animal.

Portanto, a escravidão ainda não terminou, apenas mudou de senhores e de escravos. Hoje os senhores são as indústrias alimentícias, o agro-negócio e os escravos os animais. Isto, de uma forma ainda mais brutal, pois estes, não só trabalham, mas são mortos para proveito da indústria.
Portanto, ser vegetariano hoje, é ser uma pessoa adiante de seu tempo. O contrário também se pode dizer. Não ser vegetariano, é ser uma pessoa atrasada no tempo, uma pessoa que praticamente concorda com a escravidão e nem sequer tem opinião própria. Não se detém um instante para pensar nos benefícios do vegetarianismo e no valor da vida de cada animal, prefere seguir ao lado dos que praticam as tradições mais ridículas e sem sentido.

Sem comentários: