abril 10, 2010

"Sem carne, com grife"

Opções isentas de proteínas animais para todos os tipos de público e casas
Por Bruno Cesar Dias

Ovo-lacto, veggie, vegano. O que antes era apenas uma opção por não ingerir carne de nenhum tipo, hoje o modo de vida apresenta diversas matizes, bem como aumenta o número de pessoas que buscam força, vigor e saúde (significados diretos do termo latino vegetus) pela alimentação.

Esse público procura fazer substituições à altura das características nutricionais encontradas nas proteínas animais. Nos restaurantes específicos, as tribos veggies encontram esses pratos e se encontram para trocar receitas e informações. Infelizmente, a cultura gastronômica da maioria das casas ainda não dispõe de menus para esse público.

Mas é possível encontrar preparos feitos por grandes chefs em restaurantes de alta gastronomia. A maioria dos cardápios utilizam derivados de leite e ovos nos preparos, sendo bem recebida pelos ovo-lacto vegetarianos. Dessa forma, os adeptos podem conhecer pontos badalados e manter a dieta alimentar para além de uma simples salada. 

Le Brasserie Erick Jacquin



Um dos maiores nomes da cozinha francesa em terras nacionais, Erick Jacquin criou o tagliatelle vegetariano (foto) a pedido dos clientes. Para compor com a massa, o prato leva tomate confitado no azeite, aspargos, cogumelos shitake e Paris, abobrinha e manjericão verde e roxo. Segundo Caio Guerreiro Ottoboni, segundo chef da casa, o fundamental é garantir o tempo preciso do cozimento dos legumes e da massa, sendo que esta deve ser aberta na hora. O resultado é um prato leve, saboroso e que sacia qualquer estômago.
D.O.M
Alex Atala é um dos grandes responsáveis por resgatar em suas receitas legumes tradicionais do Brasil, como o quiabo e chuchu, antes mal vistos, além de e ervas como o poejo e priprioca, restritas ao Norte do país. Esses sabores são encontrados no meio do cardápio e em menu-degustações específicos promovidos regularmente no D.O.M.


Consomé de cogumelos com tucupi e jambu (foto) é um deles, utilizando uma variedade de tipo de fungo, ricos em proteínas, e ervas amazônicas. "Alguns dos grandes clássicos da cozinha são vegetarianos. Basta lembrar do espaguete ao molho de tomate, da sopa de cebola e do lámen".


Os restaurantes orientais são outra alternativa para os adeptos do vegetarianismo. "No ocidente temos a cultura de comer sempre com proteínas. Lá, a carne é acompanhamento, quando há", comenta o jovem chef Pablo Vidal, do Zazá Bistrô Tropical.



O prato principal veggie nessa casa carioca que mescla escolas tailandesa, indiana e brasileira é o 
Mini-penne com tomate assado, brócolis e amêndoas. Para os ovo-láctos, há uma opção de entrada: Tapioquinha com queijo coalho (foto),com molho de damasco e gengibre. "Para um bom prato vegetariano, a escolha dos legumes e vegetais precisa ser mais apurada", comenta Vidal.
Aprazível


Santa Tereza é o bairro mais hiponga do Rio. Mas, para provar um prato ovo-lacto cercado de muito charme, a pedida é o Aprazível. Lá é possível degustar  
Lasanha Campesina (foto), feita com lâminas shitake e cogumelo Paris entremeadas com molho bechamel de alho poró e molho caseiro de tomate. Para a chef e restaurantrice Ana Castilho, o prato junta as proteínas dos cogumelos com os sabores clássicos da Itália.

Localizado na badalada Dias Ferreira, que também abriga o restaurante de saladas Celeiro,  Sawasdee possui uma parte do menu unicamente para vegetarianos, uma das poucas casas que destacam essa parte do cardápio entre restaurantes de tíquete médio elevado.


"As cozinhas do Leste asiático prezam pelos vegetais, seja por questões religiosas e pela necessidade de alimentar os grandes contingentes populacionais", comenta o chef Marcos Sodré. Entre as opções, há para veganos, como o Arroz jasmim frito com legumes, nampla, shoyu e limão e o Curry verde de legumes com leite de coco, salpicado de coentro. Para os menos radicais, opções com um tempero comum na Tailândia, o molho de ostras, presente no Macarrão de arroz com legumes, molho de ostras, tomate cereja e manjericão (foto).

O hambúrguer, símbolo dos carnívoros mais apressadinhos, possui versões veganas em casas especializadas como General Prime Burger. A casa oferece saladas, massas e sanduíches como Prime Veggie, que leva cogumelos Paris e alho poró refogados no azeite com queijo brie gratinado. Mas o que chama a atenção é o Veggie Burger (foto) . O disco é feito da mistura  de arroz, grãos de feijão, cogumelos, berinjela e abobrinha, e tem fãs que vão às duas lojas da rede apenas para degustá-lo. "É um prato diferente, e todos gostam, seja por vegetarianos ou não", comenta Ulli Fuchsloch, diretor operacional e sócio. Um alívio para os fãs do junkie food vegano: comida com cara de fast food mas firme na proposta vegetal.
Fonte




Sem comentários: