abril 30, 2010

Sai novo relatório das Nações Unidas sobre aquecimento global e produtos lácteos











As indústrias que fabricam produtos lácteos são responsáveis por cerca de 4% dos gases do efeito estufa lançados na atmosfera. É o que aponta um novo estudo da FAO (Nações Unidas para Comida e Agricultura, em português). Isso inclui tanto a produção desses produtos, quanto o processamento e o transporte de leite e derivados.

Considerando a produção global de leite (incluindo processamento e transporte) e excluindo a produção de carne, o setor contribuiu com 2,7% do total de gases emitidos.

Em 2007, as indústrias de produtos lácteos emitiram 1.969 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2). Disso, cerca de 1.328 milhões de toneladas estavam relacionadas a indústria do leite, 151 milhões de toneladas para o abate desses animais e 490 milhões de toneladas de bezerros do setor leiteiro que são criados também para o abate.

O metano é o que mais contribuiu para o aquecimento global. Cerca de 52% das emissões de gases do efeito estufa são de metano.

Este relatório da FAO sobre o impacto do setor lácteo no aquecimento global abrange todas as indústrias lácteas -- seja da mais artesanal, até a com tecnologia de ponta.

"Este estudo é fundamental para entender e identificar como reduzir o impacto que esse setor tem no meio ambiente", disse o diretor da FAO para a Produção de Animal, Samuel Jutzi.

Sem comentários: