fevereiro 26, 2010

VEGetariANOS – Uma opção alimentar em sintonia com a Ecologia!

“No prato jaz um pedaço de músculos, amontoado da região pélvica de um animal bem maior que você. Com a faca, você serra os feixes musculares. A seguir, coloca o tecido morto na boca e começa a dilacerá-lo com os dentes. Sim, meu caro, por mais que você odeie pensar que a comida no seu prato tenha sido um animal um dia, você está comendo um cadáver”
A busca por uma alimentação mais saudável e que seja ecologicamente correta é acima de tudo a busca por uma saúde melhor e pela preservação do meio ambiente que é essencial para a sobrevivência do planeta.





Vegetarianos, são pessoas que não consomem alimentos de origem animais. Existem algumas variações de vegetarianos:
Ovo-lacto- vegetarianos: Não consomem qualquer tipo de carne porém consomem ovos e leite ( produtos de origem animal).
Lacto- vegetarianos: Não consomem carne nem ovos, mas consomem leite.
Veganos: Não consomem qualquer produto de origem animal e também não utilizam produtos feitos com couro,( sapatos, bolsas, carteiras) tecidos (de lã, seda), sabonetes, detergentes ou cosméticos feitos com substancias testadas ou extraídas de animais.

Razões que levam uma pessoa a ser vegetarianas: algumas pessoas se tornam vegetarianas por motivos de saúde, outras por motivos religiosos ( Budistas, Rare Khistina, e outros) ou por amor aos animais ( contra os maus tratos causados na criação e abate de animais) e também por motivos ecológicos.


A fome mata 40 mil pessoas por dia no mundo. Segundo a ONU, a fome atinge 800 milhões de pessoas em todo mundo. A criação de gado consome 1/3 dos grãos produzidos na terra e ocupa 24% das terras disponíveis no planeta estão disponibilizadas para pastos.
São necessários 35 litros de água por dia para sustentar um boi e de 90 litros por dia para sustentar uma vaca leiteira (dados da FAO – Food and Agriculture Organization). A indústria da carne é responsável por mais de metade da água consumida para todos os fins.

Na questão da terra, temos cerca de 80% das áreas cultiváveis usadas para a criação de animais. Em um hectare de terra podem ser plantados 22.500 kg de batatas, mas, na mesma área, só podem ser produzidos 185 kg de carne bovina (dados da FAO).

Estudos patrocinados por entidades ecológicas norte-americanas concluem que mais de 1 bilhão de pessoas poderiam alimentar-se com os grãos, sobretudo soja, destinados à alimentação do rebanho bovino norte-americano. E mais: a economia em grãos conseguida se os americanos reduzissem em apenas 10% o consumo de carne seria suficiente para alimentar o mesmo número de pessoas que, segundo os estudiosos, morre de fome no mundo a cada ano (fonte: Como Defender a Ecologia, ed Nova Cultura).

Segundo o nutricionista Georges Guimarães, 32 anos, vegetariano desde 4 anos de idade proprietário da empresa Nutri-Veg Consultoria Vegetariana, situada em São Paulo, declarou que os vegetarianos possuem, em média, pressão arterial mais próxima do normal do que os onívoros. Um estudo realizado pelo InCor em 2001, do qual ele foi co- autor concluiu que dos mais de 30 vegetarianos estudados, NENHUM apresentou pressão Arterial aumentada, enquanto mais de 10% dos onívoros (cerca de 60 indivíduos no total) apresentavam pressão Arterial acima de 140 x 100.

Mary Winckler, sociologa, tradutora e coodenadora para a América Latina da União Vegetariana Internacional, declara no site da Sociedade Brasileira Vegetariana (SBV) “O vegetariano tem risco reduzido de doenças crônicas e degenerativas, como cardiopatias, câncer, diabetes, obesidade, osteoporose, doenças da vesícula biliar e hipertensão. O meio ambiente também se beneficia com a adoção da dieta vegetariana. A criação de gado significa um uso muito ineficiente dos recursos, além de ser a principal responsável pela derrubada das florestas. São necessários 7 quilos de cereais e grãos para produzir um quilo de carne. Metade de toda a terra boa do mundo é destinada a pastagens. A indústria da carne é responsável por mais de metade da água consumida para todos os fins. Metade da colheita mundial de grãos foi consumida pelo gado nos anos oitenta. Num mundo onde a fome é uma realidade, o comer carne torna-se eticamente inaceitável.O site da Sociedade Vegetariana Brasileira tem 3 mil acessos por dia. O Congresso Vegetariano Brasileiro e Latino-Americano, marcado para agosto, aguarda 10 mil participantes.

A nutricionista Amélia Duarte em entrevista a jornalista Fernanda Duarte (Correio Bahia, 05.06.05) declarou: “Não recomendo que nenhum paciente deixe de comer carne vermelha, que, por ser muito rica em ferro e gorduras saturadas, que são gorduras sólidas especialmente sucetíveis ao ataque dos radicais livres, é um alimento pró-oxidante. Isso sem falar que é fonte de proteinas e minerais” O problema não é eliminar o alimento e sim saber comer”. “Temos sim é que procurar uma adequação dietetica para aproveitar da carne vermelha o que ela tem de bom.”

O estatístico Paul Appleby, da Universidade de Oxford, analisou todos os trabalhos disponíveis que comparavam a mortalidade de vegetarianos à dos onívoros. Verificou que os dois maiores estudos já feitos não mostraram diferença significativa entre os dois grupos (Revista Época,edição 09.06.06)
Os críticos da dieta vegetariana argumentam que existe 2 tipos de ferro, classificados de acordo com a facilidade com que são aproveitados pelo organismo. O ferro M, presente na carne, vem associado a hemoglobina, e por isso é melhor absorvido pelo organismo (cerca de 25%). e o ferro não M encontrado nos vegetais que têm apenas 3% de aproveitamento. A proteína animal tem alto valor biológico, pois possui todos os aminoácidos essenciais ao organismo. A proteína vegetal, é considerada de valor biológico menor, pois torna-se necessário combinar várias fontes de proteína vegetal para se obter todos os aminoácidos essenciais. Além disso, só os alimentos de origem animal fornecem a vitamina B12, essencial para o sistema nervoso.

Os vegetarianos contra argumentam que a proteínas da soja possui todos os aminoácidos essências e que é muito mais saudável a combinação de vegetais para obtenção das necessidades orgânicas do ferro do que comer carne. Quanto a vitamina B12 a maioria dos veganos usam suplementos alimentares ( vitamina B12 em cápsulas) para complementar a alimentação.


Pensamentos de alguns famosos sobre o vegetarianismo:
“Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as chances de sobrevivência da vida na terra quanto a evolução para uma dieta vegetariana. A ordem de vida vegetariana, por seus efeitos físicos, influenciará o temperamento dos homens de uma tal maneira que melhorará em muito o destino da humanidade.” 
Albert Einstein.
“Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor.” Pitágoras.
“Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para a satisfação de nossos desejos corpóreos.” Gandhi 
“O destino dos animais é muito mais importante para mim do que o medo de parecer ridículo.” Émile Zola. 
“Tempo virá em que os seres humanos se contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança de um animal inocente como hoje se julga o assassínio de um homem.” Leonardo da Vinci.
“Não comer carne significa muito mais para mim que uma simples defesa do meu organismo; é um gesto simbólico da minha vontade de viver em harmonia com a natureza. O homem precisa de um novo tipo de relação com a natureza, uma relação que seja de integração em vez de domínio, uma relação de ser dentro dela e vez de possuí-la. Não comer carne simboliza respeito à vida universal. ” Pierre Weil 
“Os vegetais constituem alimentação suficiente para o estômago e, no entanto, recheamo-lo de vidas valiosas. ” Sêneca

Sem comentários: