dezembro 11, 2009

Namorado cadeirante x Namorado vegetariano

Namorado cadeirante x Namorado vegetariano

cadeirante e saladaQuando comecei a me interessar pelo meu atual namorado, que é cadeirante, uma das primeiras preocupações foi justamente o fato dele ter uma deficiência física. Normal, né? Mesmo que inconscientemente, é natural se perguntar o quanto se terá que abrir mão de uma série de coisas por conta de um namorado que usa cadeira de rodas.

A maior parte dos meus amigos disse que eu deveria ao menos dar uma chance a essa história. Mas também ouvi muitos comentários do tipo: “Você tem certeza de que é isso que quer? Pense nas limitações que um relacionamento como esse pode trazer” ou mesmo opiniões contrárias, pessoas que me disseram que eu estava me metendo numa furada. Mas de uma coisa eu tinha certeza: poderia ter n+1 motivos pra não gostar dele e para terminar o relacionamento, como acontece com todo mundo. E o fato de ser cadeirante poderia ser o menor dos problemas.

Com o passar do tempo, fui percebendo que estava certa e hoje tive, mais uma vez, essa minha teoria confirmada. Saímos pra almoçar com um casal de amigos. Até aí, tudo normal. O problema apareceu quando fomos escolher o local do almoço. A menina come de tudo, mas o rapaz... é vegetariano. Para decidir aonde iríamos foi quase como organizar uma convenção da ONU. A maioria dos restaurantes era ruim porque não tinha quase nenhuma opção de comida para o nosso amigo e os que tinham opção ficavam meio longe. Acabamos optando por um excelente buffet, que o casal amigo já conhecia e tinha certeza de que encontraríamos opções para todos os gostos.

No caminho para lá, fiquei imaginando a chatice que não deve ser para a namorada dele ter que se limitar a alguns restaurantes com opções vegetarianas toda vez que forem sair juntos para comer. E foi então que percebi que, ter um namorado vegetariano, pode ser tão ou até mais limitante do que ter um namorado cadeirante ou um namorado que ama futebol ou outro que não gosta de sair de casa ou ainda um que só sai com os mesmos amigos de sempre. Ou seja, toda e qualquer pessoa que escolhe viver um relacionamento tem que abrir mão de uma ou até de muitas coisas. É fato.

Agora, toda vez que alguém vier com esse papo de que sou um exemplo a ser seguido, por namorar um cadeirante, já sei o que responder: “Você diz isso, porque não conhece uma amiga minha que namora um vegetariano. Isso sim é sacrifício!”

Sem comentários: