novembro 16, 2009

"Só sou um hippie paz e amor, feliz, que gosta de abraçar árvores"

O mundo acabou para Woody Harrelson em dois filmes que entram em cartaz no Brasil, hoje e daqui a três semanas. No primeiro, "2012", que estreia em 550 salas de cinemas, o ator faz um hippie apocalíptico que vê a chegada do fim do planeta Terra. Cena de "2012", filme em que Woody Harrelson interpreta um hippie apocalíptico No segundo, "Zumbilândia", que deve ser exibido a partir de 4/12, ele faz um caçador de zumbis nos Estados Unidos -cujos habitantes são transformados em mortos-vivos devido à doença da vaca louca. Para Harrelson, que já escalou a ponte Golden Gate, em São Francisco (EUA), para fazer um protesto ambiental, é mais provável que o mundo termine mesmo como em "2012", após desastres naturais, e não como em "Zumbilândia". Afinal, ele diz, "os zumbis já tiveram seus dias de glória nos EUA". "Você sabe, não é? É só olhar para a última administração [de George W. Bush]", diz o ator de 48 anos à Folha, por telefone. "E eles ainda continuam por aí." 
Foi essa a justificativa que achou para explicar um murro que deu num paparazzo do TMZ em abril, em Nova York: "Pensei que fosse um zumbi", disse, na época, o ator, que tem outro processo de agressão contra outro fotógrafo do mesmo site de celebridades. Mas Harrelson, famoso pelo sangrento "Assassinos por Natureza" e pelo papel de bartender na série "Cheers", prefere ficar com a fama de hippie em vez da de "bad boy". "Só sou um hippie paz e amor, feliz, que gosta de abraçar árvores", disse. "Às vezes eu faço esses papéis [violentos], mas depois volto para o Havaí." 
O ator vive numa comunidade rural na ilha, com suas três filhas e a mulher. Na hora da entrevista, Harrelson estava em Los Angeles para divulgar um terceiro filme, o drama "The Messenger", que estreia hoje nos EUA (sem data para o Brasil). Ele faz um oficial do Exército encarregado de dar más notícias a familiares de soldados mortos. Um quarto filme, "O Amor Pede Passagem", no qual ele faz uma ponta no triângulo amoroso de Jennifer Aniston e Steve Zahn, entra em cartaz no país na próxima sexta-feira. 

Além de hippie e defensor do cânhamo (planta usada para fabricação de tecidos e maconha), Harrelson é conhecido como vegetariano radical, cujos figurinos e comidas nos filmes têm de ser obrigatoriamente "verdes", como aconteceu em "Zumbilândia". Seu personagem, o solitário Tallahassee, usa botas e jaqueta de couro, "tudo falso", segundo ele. Seu chapéu foi fabricado com lonas de caminhão recicladas do Brasil. E o bolinho Twinkies (parecido com o bolinho Ana Maria), que vira uma raridade no país arrasado por zumbis e uma obsessão de Tallahassee, também foi feito especialmente para Harrelson.
"Fizeram um Twinkie "vegan" para que eu pudesse comer. Acho que eu não como um desde 1981", disse o ator.


Sem comentários: